Estado de Minas: Remake de Carrossel é feito sob medida para a criançada

Frederico Carrilho (Daniel Satixe) e os filhos Carmem (Stefany Vaz) e Duda (Kauã Falciano), em Carrossel

O remake de Carrossel, que o SBT/Alterosa estreou há uma semana, é feito sob medida para a criançada. Os pequenos telespectadores ainda curtem ver as estrepólias, brincadeiras e até os conflitos dos personagens mirins nas salas de aula de um colégio, além da pitada de aventura nas horas vagas. É como se eles mesmos também fizessem parte da trama. A história, que é uma adaptação da versão original mexicana, é assinada por Íris Abravanel e sua produção foi concebida com capricho pela emissora.

Não foi por acaso que os primeiros capítulos registraram índices de audiência até acima da expectativa da direção do canal, que falava em oito pontos inicialmente. Na estreia, Carrossel cravou 13 pontos de média, com picos de 15. No segundo dia, a surpresa aumentou: foram 15 pontos. A novela, cujo original foi exibido pelo próprio SBT na década de 1990, foi parar, claro, nas redes sociais. Antigos e novos fãs deixaram impressões sobre a atração. A maioria aprovou.

Carrossel é uma novela infantojuvenil. Pré-adolescentes, com certeza, também acompanham a trama. A narrativa é movimentada e os cenários remetem a séries que têm como alvo esses telespectadores tão especiais. São coloridos, marcantes, atraentes. Faz lembrar o pique de Chiquititas, que também já foi atração de sucesso da emissora, e, guardadas as proporções, o excelente Castelo Rá-tim-bum.

Mas, em Carrossel, o vocabulário adotado para a criançada, por vezes – não sempre – é um tanto rebuscado. Parece história de outros tempos, o que torna inevitável não lembrar da primeira versão. Mas uma personagem logo chama para os dias atuais ao falar de YouTube e afins.

O elenco é afinado. Rosanne Mulholland, a nova professorinha Helena, tem a doçura e o comprometimento que se espera de uma mestra. No caso da personagem, ela vai além, pois, atenta, acompanha a vida de seus alunos também fora da Escola Mundial. Muitos têm problemas que acabam refletindo na sala de aula.

A turma de atores mirins, de forma geral, está bem escalada. Com destaque para Larissa Manoela (Maria Joaquina), Jean Paulo Santos (Cirilo Rivera), Maísa Silva (Valéria) e Carmem (Stefany Vaz). À exceção de Larissa e Maísa, os demais fazem sua estreia na TV. Natural que o ajuste na interpretação vá ocorrendo aos poucos.

No elenco adulto, além de Rosanne, Carrossel conta com Cris Poli (supervisora Bernadete – a atriz é conhecida dos telespectadores como a Supernanny), Ilana Kaplan (professora Matilde), Lívia Andrade (professora Suzana), Daniel Satixe (Frederico Carrilho), Adriana Alves (Paula Rivera), entre outros. A trilha sonora conta com Eliana, Patrícia Marx, a própria Maísa Silva, Priscila e Yudi, que cantam o tema da abertura, por sinal muito interessante. E ainda tem Restart e até Chico Buarque.

Os temas são eternos e tratam de violência, diferenças sociais, preconceito racial, má educação, criançada mimada. E traçam discussão sobre questões atuais, daí não faltar um nerd na escola e uma criança, Laura Gianolli (Aisha Benelli, filha da cantora Simony), que por ser gordinha sofre bullying.

Carrossel já assustou a concorrência e tem tudo para marcar território e segurar, por muitos meses, a vice-liderança no horário. Criança é um público difícil de conquistar, mas quando gosta é fiel. Vale a aposta.

Fonte: Simone Castro (Jornal Estado de Minas)

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter