Cartas e Cartazes nº 10: SBT arrisca palpite e jogo da Seleção Brasileira não acaba (03/09/1989)

Por José Eustáquio Lopes de Faria Júnior (@juniorpitangui)

Trata-se de um jogo que entrou para a história. Pelo bem (dos brasileiros) e pelo mal (dos chilenos). A partida entre Brasil x Chile teve todos os contornos que uma partida decisiva poderia ter. Naquele 3 de setembro de 1989, a Seleção Brasileira tinha uma possibilidade real de ficar fora, pela primeira vez, da Copa do Mundo. Para isso, bastava perder o jogo para o Chile. O jogo anterior, no Chile, ficara empatado em 1 x 1, com direito a expulsão de Romário.

Mas isso não aconteceu, felizmente. Empurrados por mais de 140 mil pessoas presentes ao Maracanã, no Rio de Janeiro, a Seleção Brasileira venceu o Chile por 1 x 0, gol de Careca. Contudo, vejam só, a FIFA iria atribuir ao jogo o resultado de 2 x 0 pro Brasil, pelo abandono de campo da seleção do Chile, pelo motivo “trágico” narrado a seguir.

Rojas, goleiro do Chile fez toda uma encenação digna de Oscar ao simular ter sido atingido por um sinalizador arremessado por Rosenery Mello, que, pela fama do caso, ganharia a capa da Playboy meses depois, com o apelido carinhoso de “Fogueteira do Maracanã”. Vejam só: O goleiro levou uma lâmina e cortou seu próprio supercílio simulando tudo aquilo para fazer o Chile ser classificado pra Copa e o Brasil não. Com esse acontecimento, a Seleção Chilena não voltou a campo e o jogo declarado encerrado. Descoberta toda a armação, além de atribuído o resultado de 2 x 0 pro Brasil, o goleiro Rojas foi banido do futebol e a Seleção Chilena impedida de disputar as Eliminatórias para a Copa de 1994.

O SBT, que transmitiu aquela partida (e no ano seguinte também transmitiria a Copa de 90), fez um anúncio bem convidativo para atrair a atenção do telespectador para assistir o jogo na emissora. Nele, o SBT já coloca o resultado da partida no ar: “Não perca hoje, às 17 horas, Brasil 6 x Chile 0”. E diz mais: se o público quisesse mais que isso, que assistisse na Rede Globo que, por ser a líder de audiência, poderia ter um resultado um pouco melhor. O otimismo do SBT não refletiu no resultado real da partida nem no resultado que a FIFA determinou, mas trouxe à tona a criatividade enorme que permeia os anúncios dessa época na emissora.

Equipe esportiva que o SBT montou para 1990: na foto, além de Cabrini, aparecem também Sócrates, Leão, Telê Santana, Ivo Morganti, Luiz Alfredo, dentre outros (Foto: Arquivo Pessoal de Roberto Cabrini)

O jornalista Roberto Cabrini, em depoimento ao SBTpedia, relembra que a partida foi o pontapé inicial da equipe de esportes do SBT para a Copa de 90: “Esse jogo marcou a estreia da equipe de esportes da qual eu era o diretor. Foi o célebre jogo da encenação do goleiro Rojas. No ano seguinte, ficamos em segundo lugar na cobertura da Copa da Itália, uma conquista impressionante de uma equipe que montei cuidadosamente. Contratamos Telê Santana, Sócrates, Leão, Orlando Duarte, Luiz Alfredo, Luís Ceará, João Carlos Albuquerque, Paulo Lima... e ainda o inesquecível Amarelinho, nosso mascote gráfico da Copa (concebido pelo Departamento de criação visual do SBT). Na época criei um slogan que marcou: ‘Itália, 90, o SBT é mais Brasil’”.

Chaveiro raro do Amarelinho, mascote das transmissões esportivas do SBT a partir da Copa de 90 (Foto: Murilo Fraga/Facebook)

A equipe daquela transmissão histórica de Brasil x Chile pelas Eliminatórias da Copa de 1990 era fenomenal. Além de Roberto Cabrini (então diretor de esportes da emissora), ainda tinha nomes como Orlando Duarte, Ivo Morganti (que faria história no Aqui Agora dois anos depois) e ainda a participação especial do ex-jogador Dadá Maravilha (que hoje ainda integra o SBT, pela TV Alterosa, de Minas Gerais). A narração da partida foi de Luiz Alfredo, que havia estreado pelo SBT em julho daquele ano, narrando Brasil e Venezuela, pela Copa América.

Equipe de esportes do SBT recebe Pelé nos bastidores do TJ Brasil - novembro de 1989 (Foto: Arquivo pessoal de Roberto Cabrini)

Além do SBT, a TV Manchete, Rede Globo e a Bandeirantes transmitiram aquela partida ao vivo para todo o Brasil, menos (incrível) Rio de Janeiro (por ser a cidade do jogo), atendendo determinação da CBF.

Agradecimentos especiais ao Roberto Cabrini, grande jornalista e amigo que nos ajudou na coluna de hoje, contribuindo com seu depoimento e fotos raras de seu arquivo pessoal.

O que achou do anúncio de hoje? Gostou? Comente aqui no site! Seu comentário é muito importante para aprimorarmos cada vez mais o quadro. Envie também o seu anúncio antigo do SBT através do contato@sbtpedia.com.br. Vamos fazer o maior levantamento de anúncios da história do SBT. Não fique fora dessa!

Perdeu alguma edição do Cartas e Cartazes? Veja as edições que já publicamos:

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter