Especial SBTpedia: Lançado às pressas em 1995, SBT Notícias teve investimento milionário e escada esquecida no cenário

Equipe do SBT Notícias reunida na "redação fake" criada para servir de cenário do telejornal (Foto: Masao Goto Filho/Estadão)

Após constantes mudanças de nome e se nada mudar até lá, o SBT se prepara para estrear um novo jornalístico: o SBT Notícias, com apresentação de Neila Medeiros.

Assim como o "Aqui Agora" e o "Boletim de Ocorrências", o SBT Notícias também é um nome já conhecido da história jornalística do SBT, tendo duas versões anteriores: uma em 1995 e a outra entre 2000 e 2003.

Mas o destaque de hoje fica para a primeira versão do SBT Notícias, que guarda diferenças e semelhanças com o atual projeto do Departamento de Jornalismo.

O SBT Notícias era um jornalístico nacional, porém de concepção enlatada. Silvio Santos havia contratado a empresa Machugh and Heffman Inc, dos americanos Bob Morse e Jack Bowen e do canadense Jacques de Suze, para criar uma concepção de um novo telejornal para o SBT. Eles que já davam pitos na programação jornalística do SBT desde 1993, agora assumiam uma proposta de telejornal próxima ao programa canadense City TV, onde os apresentadores andavam numa frenética redação. Para conseguir implantar esse projeto o SBT investiu um montante milionário: pagou aos gringos 5 milhões de dólares. Além disso, foi buscar na Globo os repórteres Britto Jr, Maria José Sarno, Mário Rezende e Valéria Sffeir, além de Maria Manso, que estava na TV Cultura. Eles se juntavam a Eliakim Araújo e Leila Cordeiro, escolhidos como apresentadores do novo programa.

Devido a uma queda do Aqui Agora, natural por ser fim de ano, horário de verão e tudo mais, o SBT resolveu deslocar o AA para o período do início das tardes (13h30) e lançar às pressas o SBT Notícias ainda em 4 de dezembro de 1995, às 18h15, embora o ano de 1996 e a inauguração do CDT fossem vistos como importantes na integração do jornalismo antes de lançar esse novo telejornal, até porque, por falta desse suporte, a equipe teve de criar uma "redação de mentirinha" para compor o formato canadense, com a proximidade entre redação e âncoras. 

Com um formato de reportagens longas e densas, que afastava diretamente o público que acompanhava o Aqui Agora e repetia o que o público já via no TJ Brasil, já dava para perceber o erro de se lançar algo sem planejamento e, precocemente, deixou a grade da emissora. Embora com empolgantes 9 pontos de média na estreia (que de tão às pressas teve uma escada esquecida no cenário e só retirada no intervalo comercial), não conseguiu se manter e saiu do ar no dia 30 de dezembro de 1995, menos de um mês após a estreia. Eliakim e Leila, que haviam sido deslocados do Jornal do SBT para comandar o novo projeto, ficaram revoltados e, segundo os próprios, com a imagem arranhada. Os repórteres contratados idem. Pensamento natural tendo em vista o montante desembolsado em um projeto que teve tempo exíguo para tentar vingar.

Esperamos que Neila Medeiros, apesar da correria do novo jornalístico e das recentes mudanças na programação do SBT, não saia também com sua imagem arranhada de tudo isso. Que, ao contrário de 1995, o SBT Notícias tenha vida longa e duradoura na grade do SBT. Sorte a ela e toda a equipe.

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter