Tribuna SBTpedia: Como seria o 'Troféu Imprensa' dos seus sonhos?, por Gabriel Reis

Como seria o "Troféu Imprensa" dos seus sonhos?

Por Gabriel Reis* (gabrielviannareis@gmail.com) 

 Foto: Lourival Ribeiro/SBT

Ontem foi ao ar a 58ª edição do “Troféu Imprensa”, prêmio mais tradicional da televisão brasileira. Transmitido pelo SBT desde 1982, a cerimônia é o programa mais antigo da casa, ainda no ar, com exceção do “Programa Silvio Santos”.

Ao longo dos anos, outras premiações foram criadas (até pelo próprio “SBTpedia”), com destaque para os “Melhores do Ano”, do “Domingão do Faustão”, o que acabou ofuscando o “Troféu Imprensa”, que segue com um formato antigo e “engessado”. Abaixo vou listar mudanças que poderiam melhorar a premiação.

Ao vivo

Desde 2004, com exceção do “Teleton”, Silvio Santos nunca mais apresentou um programa ao vivo. Mesmo gravando por horas seguidas, sem edição, opta pela dinâmica mais simples e barata da gravação. Em geral, o que se vê são programas mais “frios”, com menos espaço ao inesperado e muitas vezes “velhos”. No caso do “Troféu Imprensa” isso fica claro quando dias antes do programa ir ao ar todos já conhecem seus vencedores. Não há sequer o suspense e a expectativa de saber quem serão os premiados.

Redes sociais

Apesar de não cativarem grande audiência na televisão brasileira, as premiações são fenômeno de audiência nas redes sociais. “Grammy”, “Oscar”, “Miss Universo”, dentre outros, são imensos geradores de memes e tweets. A Globo marcou apenas 9,1 pontos com a transmissão do “Oscar” (metade do que seus principais programas de domingo marcam e até menos que o “Domingo Maior”), mas os comentários de Glória Pires durante a premiação foram o assunto da semana. Cabe ao SBT saber explorar esse segmento. Fazendo uma premiação ao vivo, facilitaria as coisas, até porque daria mais espaço a surpresa a ao inesperado.

Falta de padronização nas categorias

Um dos grandes problemas da premiação é a ausência de uma padronização das categorias. Por exemplo: “Locutor esportivo” é uma categoria que não foi premiada ontem e esteve presente em diversas edições. Também há problemas de nomenclatura: há atrações que não se encaixam em: “Programa de auditório”, “Programa de entrevistas”, “Programa humorístico” e “Programa infantil”. Acredito que uma classificação mais genérica em “entretenimento” (no lugar do “auditório”) facilitaria a entrada de diversas atrações que ficam de fora como reality shows, game shows, revistas eletrônicas matinais, etc.

Presença dos indicados na plateia

Um dos momentos mais aguardados de todas as premiações é a presença das grandes estrelas e o encontro entre elas. No Troféu Imprensa isso fica restrito a apenas alguns ganhadores de anos anteriores que vão buscar o troféu. Mais uma vez, não há um padrão e quando o vencedor sobe ao palco, ele agradece por uma premiação de, pelo menos, um ano atrás.

Dinâmica de votação, formato e duração

Neste ano optou-se pelos jurados depositarem seu voto em uma urna. Em anos anteriores, o voto era aberto. Acredito que há muitos problemas aí: o primeiro é a demora no processo de contagem dos votos, a segunda é restringir a imprensa brasileira a onze pessoas (jurados). O SBT poderia fazer um cadastramento de um número maior de jornalistas que poderiam votar online. O resultado, sim, seria dado ao vivo, no palco. A festa ganharia dinâmica, seria mais democrática e não duraria tanto tempo como hoje. Ao mesmo tempo, poderia se abrir espaço para todos os vencedores falarem, musicais ao vivo e homenagens.

Momento em que a premiação vai ao ar

Um dos principais erros do “Troféu Imprensa” é o momento em que a premiação vai ao ar. Ontem, dia 22 de maio, o SBT premiou os melhores do ano de 2015! Entrando quase no sexto mês de 2016! Idealmente a festa deveria ser feita ou no final de 2015 ou no início de 2016.

Produção de baixo custo

Englobando todos os tópicos anteriores, fica claro que o SBT opta por uma produção barata, feita nos próprios estúdios da Anhanguera, com um cenário praticamente imutável e com a mesma estrutura há anos (mesmo com uma série de problemas citados anteriormente). Enquanto a Globo opta por fazer um “Melhores do Ano” cada vez mais grandioso, o SBT parece fazer o “Troféu Imprensa” por “obrigação” e a “toque de caixa”. O resultado é que uma premiação gigantesca, que opta por premiar a todos (de todas as emissoras), acaba ficando menor.

E como seria o “Troféu Imprensa” dos seus sonhos? Deixem suas sugestões em nossa caixa de comentários.  

*É graduado em Comunicação Social (Rádio e TV) pela Escola de Comunicação da UFRJ. Teve passagens pela TV Boas Novas e pelos canais Esporte Interativo, onde foi coordenador de programação. Atualmente escreve artigos de opinião às segundas-feiras no “SBTpedia”

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter