Tribuna SBTpedia: SBT 35 anos: A importância de escrevermos a nossa história, por Gabriel Reis

SBT 35 anos: A importância de escrevermos a nossa história

Por Gabriel Reis* (gabrielviannareis@gmail.com) 

Em 19 de agosto de 1981, um ex-camelô, artista, radialista, animador e empresário consegue abrir sua primeira estação nacional de televisão. Das ruas, do circo, das barcas, do rádio para a TV. O camelô que já era fenômeno nacional, se consagra. Essa televisão cresce, se torna referência em programas de auditório para televisão, cria sucessos nacionais inesquecíveis, exibe novelas mexicanas que conquistam o Brasil, exibe competições esportivas nunca antes vistas, e começa a fazer um jornalismo diferenciado, voltado para o popular e para a figura do âncora. Essa televisão é o SBT e todos nós sabemos.

No entanto, o que para nós é algo corriqueiro e óbvio, pode ser uma imensa surpresa para o grande público e para os estudantes de Comunicação. Por esta razão, é fundamental que um trabalho de resgate histórico seja feito para toda essa informação não se perder. Como entenderemos a trajetória do SBT e conseguiremos construir um futuro se não soubermos do nosso próprio passado?


Indo nesse caminho, algumas boas iniciativas já foram feitas: o “SBTpedia” tem uma coluna semanal chamada “O Dia na História”, onde recupera-se um fato histórico da emissora que seja relativo a um dia e mês específico; em 2011, foi lançada uma exposição pelos 30 anos da emissora, mas que infelizmente não percorreu tantas cidades brasileiras; no mesmo ano o SBT lançou o “Festival SBT 30 anos”, programa semanal que revisitava um artista ou programa importante da história do SBT; há também livros e trabalhos acadêmicos sobre o SBT já publicados como “Circo Eletrônico: Silvio Santos e o SBT”, de Maria Celeste Mira, e “Os Bastidores da Televisão Brasileira”, de Roberto Manzoni, o Magrão; e o Rafael Fialho também escreveu uma série de artigos importantes com ótimas dicas de livros e trabalhos acadêmicos sobre a respeito da emissora (o primeiro deles pode ser lido aqui).

Em 2011 o Museu de Belas Artes de São Paulo recebeu a exposição comemorativa a respeito dos 30 anos de existência do SBT. Foto: Lourival Ribeiro/SBT

Em comemoração pelo seu aniversário de 30 anos, o SBT lançou, em 2011, o “Festival SBT 30 Anos”. No programa, foi contada a história de diversos programas e artistas que passaram pela emissora como: Hebe Camargo, Gugu Liberato, Jô Soares, Chaves, dentre outros. Imagem: SBT 

No entanto, novos projetos merecem ser incentivados. As iniciativas independentes e isoladas, se unidas, podem gerar uma base de dados enorme. O José Eustáquio (editor-chefe do “SBTpedia”) lista cada filme que o SBT exibe há anos. Muitos SBTistas guardam grades de programação, anotações, números de audiência, revistas, recortes de jornal. Eu mesmo tive a oportunidade de fazer a minha monografia na Universidade Federal do Rio de Janeiro sobre a emissora (escrevi “A importância de Silvio Santos para a televisão brasileira”). Aos leitores deste espaço fica o meu incentivo para não se negarem a dividirem dados, fotos, notícias a respeito da emissora e que desenvolvam seu próprios projetos a respeito do SBT, da mesma forma que eu desenvolvi a minha monografia e esta coluna; o José Eustáquio deu “vida” ao “SBTpedia”; e o Rafael Fialho fez sua monografia na graduação e sua tese de mestrado. A história do SBT precisa ser escrita e contada para inúmeras gerações.
 
*É graduado em Comunicação Social (Rádio e TV) pela Escola de Comunicação da UFRJ. Teve passagens pela TV Boas Novas e pelos canais Esporte Interativo, onde foi coordenador de programação. Atualmente escreve artigos de opinião às segundas-feiras no “SBTpedia”

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter