Realidade Virtual nº 3: O que teria acontecido se a novela Carrossel tivesse sido produzida em 2007?

Realidade Virtual nº 3: O que teria acontecido se a novela Carrossel tivesse sido produzida em 2007?

José Eustáquio Lopes de Faria Júnior (@juniorpitangui)


Carrossel foi um grande fenômeno de popularidade e audiência. Tanto em sua versão mexicana entre 1991 e 1992, quanto em sua versão nacional entre 2012 e 2013. Personagens como Cirilo, Maria Joaquina e Professora Helena se tornaram inesquecíveis. Mas se o remake da novela tivesse sido produzido anos antes, em 2007, como estava programado. O que poderia ter mudado?

Acredite, se quiser, mas Carrossel versão 2007 poderia ter sido bem diferente do Carrossel versão 2012, mesmo que a diferença de datas seja de apenas 5 anos (ou 4, já que Carrossel Brasil começou a ser produzido em 2011). 
Com e sem caracterização: Ronaldo Ciambroni, que fez a personagem Donana em A Praça é Nossa, foi contratado para adaptar Carrossel, em 2007

A primeira diferença seria no tocante ao texto da adaptação. Ronaldo Ciambroni (famoso pela personagem Donana, com passagem em A Praça é Nossa) seria o responsável pela obra e não Íris Abravanel. Sua contratação aconteceu em 2 de maio de 2007, informou a imprensa à época. Segundo Flávio Ricco, o “texto-base” mostrado à Televisa foi até elogiado pela rede mexicana. Nunca se divulgou o motivo do SBT ter recuado na iniciativa de produzir a novela. Eram tempos extremamente difíceis na emissora, com mudanças de grade e sem sequer uma assessoria de imprensa ativa. O certo é que na mesma época começaram as gravações de “Amigas e Rivais” e o SBT optou por uma ou outra. E ficou com a trama de Letícia Dornelles.

Como se vê, Carrossel fez parte de mais um sonho da lenda urbana do “segundo horário de novelas”. Depois, em setembro ainda de 2007, se cogitou Carrossel como substituta de Amigas e Rivais, mas os baixos resultados apresentados pela última, acabou por enterrar as chances da ideia prosperar.

Um detalhe que o SBT queria fazer em Carrossel em 2007 e seria bem diferente em 2012 foi a questão do cenário principal: a Escola Mundial. Enquanto a versão que não foi produzida queria usar uma escola da periferia de São Paulo como cenário, o SBT em 2012 optou por criar uma escola dentro dos próprios estúdios da emissora.

Quanto à escolha do elenco, falou-se, através de Daniel Castro, que o SBT poderia promover uma seleção ao vivo de todo o elenco infantil no Domingo Legal. A ideia parecia das mais interessantes. Em 2012, algo foi cogitado desse tipo, Celso Portiolli levou crianças dos testes ao palco ainda com o diretor original (Del Rangel, antes de cair e assumir Reynaldo Boury). Mas foi mais por curiosidade, uma pauta avulsa, do que um quadro fixo. Stefhany Vaz estava entre as crianças naquele dia. E virou a Carmen da versão nacional da trama.

E a Professora Helena? Difícil palpitar, hein? A imprensa, em 2007, não especulou ninguém para o grande papel. Mas se a gente pegar a escalação do elenco de Amigas e Rivais poderíamos arriscar dois nomes: uma um pouco mais velha - muitas aspas aqui por favor (Luciana Vendramini, que estava próxima de ser Rosana Delaor em A&R) e outra mais jovem (Thiara Palmieri, que estava na mídia após apresentar a TV Globinho e viver a Amanda em “Malhação” e cotadíssima para ser uma das 4 protagonistas de A&R, provavelmente para viver a personagem Laura, que acabou ficando com Lisandra Parede). Como não foram aproveitadas em Amigas e Rivais, teriam grandes chances de pegar um papel na outra trama do SBT. 
Madura com cara eterna de jovem ou uma jovem atriz despontando em Malhação? As duas opções seriam fortes concorrentes ao posto de Professora Helena em 2007

Vale também analisar a grade do SBT na época. Em 20 de agosto de 2007, o SBT estreou a versão argentina de Chiquititas (“Chiquititas 2000”) e os resultados foram interessantes, chegando a dar trabalho (e vencer) o Jornal da Record na época. Veja a grade do dia da estreia de Chiquititas:

19h00 Chaves
19h25 Chiquititas 2000
20h15 Amigas e Rivais
21h15 SBT Brasil


Veja que se Carrossel tivesse vindo no lugar de “Chiquititas 2000” poderia ter dado certo, já com um público pré-consolidado. Se tivesse vindo no lugar de Amigas e Rivais também, recebendo do mesmo público de Chaves e Chiquititas e competindo diretamente com o Jornal Nacional. Vale lembrar que, além de “Chiquititas 2000”, o SBT também exibiu a chamada “Chiquititas 2008” (que na verdade era de 2006 na Argentina), o que ajudaria na consolidação da novela nacional infantil do SBT. A segunda versão não foi tão bem quanto a primeira, porque o SBT fez a belíssima estratégia de criar um hiato entre as duas tramas (Chiquititas 2000 acabou em janeiro/2008 e Chiquititas 2008 começou em março/2008).

Um eventual sucesso de Carrossel em 2007, certamente mudaria os rumos da teledramaturgia no SBT. Novelas adultas certamente teriam de esperar e Íris Abravanel talvez nem estreasse tão cedo na área, uma vez que sua estreia acabou acontecendo em virtude do fim da parceria com a Televisa no final daquele ano. Foi preciso, então, apostar em um texto nacional. Portanto, “Revelação” e “Vende-se um Véu de Noiva” certamente estariam comprometidas. Da mesma forma, provavelmente, a Televisa teria renovado com o SBT e não teria fechado acordo em 2008 com a Record e lá feito “Rebelde” e “Bela, A Feia”.

Mesmo se a Televisa tivesse escapado do SBT naquele período, a emissora de Silvio Santos poderia ter optado por um “plano B” para as tramas infantis a partir de 2008. Isso porque Ronaldo Ciambroni é famoso pelas adaptações da obra de Monteiro Lobato. Talvez, dali, sairia um bom acervo para o SBT adaptar e fazer novelas para a faixa etária infanto-juvenil.

Se existia a possibilidade de “Carrossel 2007” dar certo, também existia a possibilidade de dar errado. Nessa época, literalmente, Pica-Pau estava voando (literalmente) na grade noturna da Record e assim prejudicando as possibilidades de Chiquititas crescer e entregar melhor para “Amigas e Rivais”. O ano de 2007 também era uma espécie de transição no setor de dramaturgia da emissora, que já dava sinais de desgaste na relação com a Televisa e que havia sofrido um baque com a tentativa frustrada de levar “Cristal” a ser um produto-chave para combater a disparada da Record em 2006. Por isso, o clima de incerteza, batia forte. Vendo que Maria Esperança melhorou sensivelmente os números nos últimos capítulos ao deslocá-la para próximo das 20h30, tentou aproximar Amigas e Rivais desse horário, mas a trama não correspondia com o perfil do horário e acabaram abortando a sequência e apostando em Lalola, que deu certo na estreia (pela divulgação inusitada promovida por Silvio Santos) e foi caindo, caindo....

A história mostrou, em 2012, que nunca se deve duvidar da capacidade de Carrossel. Isso ficou claro quando Silvio Santos brincou com as crianças da novela dias antes da estreia, falando que precisava que a trama atingisse até 15 pontos de média. Todos riram, caçoaram. E na primeira semana ela conseguiu essa proeza. Em 2007 poderia ter ajudado bastante a emissora se conseguisse o mesmo fenômeno e sair, em parte, da crise que atravessava.

E você? O que acha que poderia ter acontecido se Carrossel tivesse sido produzido em 2007? Quem seria a Professora Helena?

Tem algum tema em especial para a gente abordar no Realidade Virtual? Conte para gente. Deixe suas ideias e sugestões aqui no post.

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter