Tribuna SBTpedia: Um banho de brilho no SBT, por Rafael Fialho

Um banho de brilho no SBT

Por Rafael Fialho* (rafaelbfialho@gmail.com)


No Troféu Imprensa desse ano, Silvio Santos repetiu, várias vezes, que a estatueta havia recebido uma camada de purpurina, ficando ainda mais bonita e chamativa. Recorro a esse episódio simples para fazer uma analogia e defender a ideia de que o SBT está precisando de um “banho de brilho” em vários de seus produtos. Isso significa que, de modo geral, é necessário vender os programas de um modo mais eficiente e atrativo. Há vários talentos e potencialidades dispersos na emissora que merecem ser mais evidenciados e divulgados.

 Novo detalhe no gramado do Complexo Anhanguera. Reprodução/ Twitter Jorge Tadeu

Mesmo com poucos investimentos e quase nenhuma novidade significativa na grade, a audiência do canal se mantém como o segundo lugar no ranking do IBOPE; com uma turbinada na divulgação do conteúdo veiculado, talvez esses números poderiam ser aumentados. Outros canais, muitas vezes, prometem mais do que entregam, mas criam boas expectativas no público gerando buzz. O canal de Silvio Santos sempre soube surpreender a audiência e vender bem o seu peixe, mas a tradição parece ter se perdido nos últimos tempos. Então, o que fazer? Abaixo, listo alguns exemplos:

Campanha Eliana


Apesar de ter sido considerada contraditória – já que se posicionou contra a cultura de estupro na mesma edição em que foi exibida uma matéria com Biel, acusado de assédio sexual –, a “campanha” feita pelo Programa Eliana foi um passo acertado. Mostrou que nem só de entretenimento vivem os programas de auditório e tocou em um assunto importante e urgente. Não me recordo de algo parecido no SBT, e por isso a ação merecia pelo menos uma matéria em algum telejornal da casa ou a reexibição em algum outro programa. Espero, sinceramente, que a campanha #ElianaPorTodasElas não fique restrita apenas ao domingo passado, mas que seja retomada nos próximos programas com outras temáticas a respeito da mulher – grande parte do público-alvo da apresentadora.

A notícia de que uma criança relatou ter sido vítima de estupro após assistir ao apelo de Eliana na TV seria um ótimo gancho para trabalhar o impacto positivo da televisão na vida das pessoas enquanto mobilizadora social. Neste caso, contudo, deve-se tomar cuidado para não promover uma exploração rasa e aproveitadora: o destaque deve ser dado ao combate à violência sexual, e não a Eliana.


Vídeo da ação contra o estupro, veiculada pelo Programa Eliana

Casos de Família 

No mesmo sentido, o Casos de Família poderia fazer uma ação especial em relação ao problema da violência doméstica contra a mulher, tema tão recorrente no programa. Em agosto, a Lei Maria da Penha completa 10 anos e seria uma ótima oportunidade para convidar a professora que empresta seu nome à lei para participar da atração. Uma edição especial totalmente dedicada à temática seria uma maneira de exercer a “missão social” defendida por Christina Rocha, que poderia entrevistar Maria da Penha, psicólogos, advogados, agentes, policiais e fazer uma retrospectiva de casos semelhantes que já passaram pelo palco. Uma campanha de divulgação e valorização do lado “sério” do Casos de Família também faria bem ao programa, há 12 anos no ar. Algo parecido já foi feito, mas pouco veiculado na época:


Vídeo institucional do Casos de Família, produzido em 2014

Troféu Imprensa


Não é necessário ser SBTista nem especialista em televisão para notar o quanto “a mais importante premiação da TV brasileira” está desgastada e deslocada no tempo – até o concurso “Mulheres que Brilham” do Raul Gil ganha mais pompa que o prêmio apresentado por Silvio Santos. Por isso, pipocam na internet várias propostas de reformulação do evento (inclusive no SBTpedia), que se fosse melhor aproveitado, poderia render prestígio, repercussão e mais audiência ao SBT.

Aniversário do Programa Silvio Santos


Por falar em Silvio, neste mês seu programa completa 53 anos de existência, e nada de especial foi feito para a ocasião, assim como vem acontecendo sistematicamente. Um baita produto, com um apresentador e história espetaculares, acaba passando em branco quando a situação poderia – e deveria – ser exatamente o contrário. Resgate de momentos memoráveis, convidados especiais, retrospectivas e presença de participantes marcantes são apenas algumas possibilidades para a celebração que o Programa Silvio Santos merece. Recentemente, a equipe se deu conta do bom material que tinha em mãos e fez uma chamada especial destacando a performance de Patricia Abravanel: atitude eficiente, louvável, mas que precisa ocorrer com mais frequência em todos os programas.

35 anos 

Certa vez li que os aniversários do SBT só seriam comemorados com pompa e circunstância a cada cinco anos. Se a fonte estiver certa, ainda não recebemos o convite da festa: por enquanto nada foi anunciado, e não devemos esperar grandes surpresas como novos programas, novo pacote gráfico e uma nova temporada do Festival 30 Anos. Mas por que não realizar uma ação conjunta de todos os programas, da linha de shows ao jornalismo, promovendo a data comemorativa? A história da emissora goza de alto índice de aceitação, que poderia ser aproveitada de modo específico conforme o programa. Pauta não faltaria.

E você? Qual seria sua sugestão para um upgrade no SBT? Aguardo seu comentário!

*Jornalista, Rafael Fialho é doutorando em Comunicação Social pela UFMG e fez do SBT seu objeto de estudo: pesquisa o canal há tempo, tendo se dedicado a pesquisas sobre os SBTistas, Silvio Santos e sobre a interação da emissora com seu público a partir das vinhetas. Atualmente pesquisa a tematização da violência contra a mulher no programa Casos de Família. Escreve artigos de opinião às quartas-feiras no SBTpedia. Para conhecer seus trabalhos sobre o SBT, mandar críticas, sugestões ou trocar ideias, escreva para rafaelbfialho@gmail.com    

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter