'Se não fossem os Mamonas, eu não teria sido nada', diz Rick Bonadio no The Noite desta sexta

No The Noite desta sexta-feira, 07 de outubro, Danilo Gentili recebe Rick Bonadio. Um dos produtores musicais mais famosos do Brasil, ele já vendeu quinze milhões de discos e lançou algumas das bandas de maior sucesso dos últimos trinta anos. 

Foto: Leonardo Nones/SBT

Lançando um livro sobre sua história, ele revela ter decidido escrevê-lo por receber muitos questionamentos a respeito do início de sua carreira e relembra no programa seu começo como músico e produtor. Rick fala ainda sobre os Mamonas Assassinas, o Charlie Brown Jr. e o Rouge, todos lançados por ele.

Confira as melhores frases da entrevista:

· Meu sonho aos quinze anos de idade era ser rapper. Já quis ser guitarrista do Ultraje (a Rigor), dos Titãs, enfim, queria trabalhar com música.
· Montei um estúdio pequeno, minha mãe me emprestou o dinheiro e coloquei um anúncio no (jornal) Primeira Mão.
· Meu primeiro cliente foi um grupo de música andina. Desses que tocam na praça da república. Me deram um cheque sem fundo.
· Se não fossem os Mamonas (Assassinas), eu não teria sido nada.
· Acho que hoje já teria acabado. Porque o humor dos Mamonas era muito livre. Não seria viável. (se os Mamonas Assassinas estariam juntos até hoje)
· O Dinho, com certeza, seria um apresentador de muito sucesso.
· Fiquei com muito medo. No momento que os Mamonas faleceram eu voltei para a estaca zero (como produtor). Foi aí que conheci o Charlie Brown Jr..
· Gostava do som, da energia, do que eles faziam. Na época, o som era muito louco. Acabei dando uma mudada e acabou funcionando. (sobre o Charlie Brown Jr.)
· A internet trouxe uma facilidade na divulgação mas tirou um pouco do glamour (do meio musical).
· Eu tentei voltar com as meninas mas elas estão com objetivos diferentes. (sobre um possível retorno do Rouge)

THE NOITE
Nesta sexta, logo após Tela de Sucessos

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter