Tribuna SBTpedia: Memórias de uma Parada que não aconteceu, por Gabriel Reis

Memórias de uma Parada que não aconteceu

Por Gabriel Reis* (gabrielviannareis@gmail.com)

Silvio Santos acena para o público na “Parada Dia da Criança” de 1987


12 de outubro de 2016, o SBT faz da Paulista o seu grande auditório. Centenas de milhares de pessoas se aglomeram para ver os artistas da emissora. Silvio Santos, Ratinho, Eliana, Larissa Manoela, todos estão lá. A distância da TV para o telespectador é quebrada pela incrível presença física dos artistas. Muitos os veem pela primeira vez. Para os próprios artistas é o reencontro com o calor do público, a expressão mais forte do sucesso. O SBTpedia “voa” e faz uma cobertura inacreditável. O portal cobre o evento in loco durante toda a semana, trazendo tudo o que há de mais fresco sobre a “Parada Dia da Criança”, informações históricas, bastidores e curiosidades.

Infelizmente tudo isso ficou só no sonho. O evento mais esperado no ano pelos SBTistas sequer ocorreu. Muitos, como eu, programaram seus deslocamentos para São Paulo e ficaram a “ver navios”.

O cancelamento, por parte do SBT, foi até compreensível tendo em vista os inúmeros protestos violentos que ocorriam na Avenida Paulista na época do cancelamento. Algo do gênero em um evento associado ao SBT seria terrível, mas também é inegável a dimensão que a “Parada” poderia dar a emissora: visibilidade, criação de memória afetiva nos espectadores, contato direto entre artistas e público, termômetro de sucesso, deslocamento de fãs pelo país, etc. 

E isso pode ser comprovado pela própria trajetória de Silvio Santos e de diversos artistas do SBT. Silvio montou sua carreira sempre apoiado no contato direto com o público. Começou como camelô, transformou as barcas do Rio de Janeiro em um show de prêmios, montou a caravana circense do “Peru que Fala”, começou a fazer os shows dos Baú da Felicidade em praças e, até hoje, tem um programa todo baseado no contato direto com o público.

A própria “Parada” de 1987 foi tão marcante, que foi um dos motivos que fez Silvio Santos entrar na vida política. Outros artistas do SBT seguiram o mesmo caminho de apostar no contato direto com o público: Gugu montou sua própria caravana nos anos 1980; Carlos Alberto de Nóbrega e Golias faziam shows em circo antes mesmo de trabalharem com Silvio na “Caravana do Peru que Fala”; e a “A Praça é Nossa” faz shows pelo Brasil até hoje. O resgate da “Parada Dia da Criança” pelo SBT é fundamental para a emissora, nem que seja feito em outro lugar ou em outra data comemorativa.

*É graduado em Comunicação Social (Rádio e TV) pela Escola de Comunicação da UFRJ. Teve passagens pelo SporTV, como coordenador de produção, e pelos canais Esporte Interativo, onde foi coordenador de programação. Atualmente escreve artigos de opinião às segundas-feiras no SBTpedia

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter