Tribuna SBTpedia: Retratos de uma rede sem rumo, por Gabriel Reis

Retratos de uma rede sem rumo

Por Gabriel Reis* (gabrielviannareis@gmail.com)

Silvio Santos - Foto: Lourival Ribeiro/SBT

“Chegou o disco voador. Já se foi o disco voador. Chegou o disco voador. Já se foi o disco voador”. O célebre diálogo de “Chaves” representa tudo o que aconteceu com o SBT nessa semana e nos últimos meses. O que é verdade agora, já pode não ser no dia seguinte. E foi isso que aconteceu com o “Primeiro Impacto” nessa semana.

No dia 09 de janeiro a assessoria de imprensa do SBT anunciou: “A assessoria de Comunicação do SBT informa que a partir desta quarta-feira, 11 de janeiro, o ‘Primeiro Impacto’ entra no ar com apresentação de Dudu Camargo na faixa horária das 13h45 às 14h45, sendo exibido de segunda a sexta-feira”. Para, no dia seguinte, soltar outro comunicado: “A assessoria de Comunicação do SBT informa que a reestreia do Primeiro Impacto programada para esta quarta-feira, 11 de janeiro, está cancelada. A nova data será divulgada em uma breve oportunidade”. O anúncio de reestreia do programa de Dudu Camargo não durou 24 horas, mesmo com um enorme esforço da equipe de jornalismo em gravar um piloto em 24 horas envolvendo figuras conhecidas de outras praças que apoiariam o jovem apresentador, como Isabele Benito e Léo Dias, do Rio de Janeiro, e Neila Medeiros, de Brasília.

O mesmo parece acontecer com Raul Gil, que inicialmente sairia da emissora em dezembro, teve sua saída adiada para o final de fevereiro e agora tem conversa agendada com Silvio Santos (quando este retornar ao Brasil) com a possibilidade ir para o difícil horário das tardes de domingo. O que parece estranho, pois Raul Gil mal conseguia manter uma média alta em seu tradicional horário de sábado batendo de frente com reprises de enlatados da Record. Além do mais, se o objetivo é trazer algo novo horário, Raul Gil, com seus quadros repetitivos e com “novidades” questionáveis como o quadro “Youtubers querem saber” não me parece o caminho ideal para derrubar o “Domingo Show”. O mais surreal de tudo isso é que se em um dia Raul Gil mal servia para sustentar os sábados da emissora, agora será o grande responsável para o difícil renascimento dos domingos.

Exemplos recentes como esses não faltam: a volta de “A Usurpadora”, a criação e as inúmeras trocas de horário do “Fofocando”, Dudu Camargo no “Primeiro Impacto”. Tudo parece ser feito de forma despreparada e sem planejamento. O SBT parece estar sem rumo e Silvio Santos em sua pior fase no que se refere a ter uma grade estável, coerente e organizada. Se a programação não estava maravilhosa, hoje corremos o risco de termo-la muito pior. Espero que não aconteça e que Silvio só traga de Orlando boas novidades e não ordens estapafúrdias que não se sustentam por 24 horas.

*É graduado em Comunicação Social (Rádio e TV) pela Escola de Comunicação da UFRJ. Teve passagens pelo SporTV, como coordenador de produção, e pelos canais Esporte Interativo, onde foi coordenador de programação. Atualmente escreve artigos de opinião às segundas-feiras no SBTpedia

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter