Tribuna SBTpedia: SBT, RecordTV e RedeTV vs Operadoras de TV paga - Perguntas que devem ser feitas, por Gabriel Reis

SBT, RecordTV e RedeTV! vs. Operadoras de TV Paga - Perguntas que devem ser feitas

Por Gabriel Reis* (gabrielviannareis@gmail.com)

Na foto: Rodrigo Faro, Luciana Gimenez e Ratinho gravando comercial para promover a SIMBA

A partir do dia 29 de março de 2017, SBT, RecordTV e RedeTV! vão retirar seus sinais das operadoras de TV paga NET, SKY, Claro, Embratel, Vivo e Oi. As operadoras, juntas, hoje representam cerca de 18 milhões de assinantes, que não receberão em seus receptores o sinal das três emissoras (hoje integradas na joint-venture SIMBA).

A principal batalha está na cobrança das emissoras em relação às operadoras de TV paga sobre o carregamento de seu sinal, o que é algo comum, usual e feito por todos os canais de TV por assinatura que estas operadoras carregam e que não era feito pelas emissoras de TV aberta, por diversos fatores como: baixo número de assinantes de TV por assinatura em seu início; menor concorrência de canais de TV paga no passado; e a atual permissão de lei que permite que os canais abertos cobrem por seus sinais digitais. Dos cinco maiores canais abertos do país (Globo, SBT, RecordTV, Band e RedeTV!), os três que não possuem canais de TV fechada, “compraram a briga” e só retornarão às operadoras anteriormente citadas após um acordo comercial que os remunere.

Do lado das operadoras de TV Paga está o argumento de que esse custo seria repassado para o consumidor, argumento esse que me parece falho perante muitos pontos que as redes da SIMBA podem e devem citar nessa batalha:

1) Todo produto deve ser remunerado, logo é natural que RedeTV!, SBT e RecordTV também o sejam;

2) O telespectador já paga por receber esses sinais via TV Paga, a grande questão é somente as operadoras de TV Paga ficam com o dinheiro. RedeTV!, SBT e RecordTV estão presentes em todos os pacotes de TV por assinatura do país, logo são “usados” pelas operadoras de TV paga como produtos seus.

3) Se canais com uma audiência bem menor são remunerados, porque três canais que juntos respondem por mais de 13 pontos de audiência na TV fechada não seriam remunerados? Só para se ter uma noção, em abril de 2016, o SBT marcou 6,43 pontos de média/dia somente no universo da TV paga; a Record ficou com 6,49 e a RedeTV! com 0,60. No mesmo mês, o canal de TV paga com melhor desempenho foi o Discovery Kids com apenas 0,71.

4) Por que as TVs pagas não abandonam a chamada venda casada (que estranhamente ainda é permite no meio), onde te obriga a assinar pacotes de canais selecionados por eles mesmos (e não pelo telespectador), deixando assim na mão do assinante a escolha por seus canais e o quanto paga por eles?

5) O SBT, a RecordTV e a RedeTV! continuarão funcionando como TVs abertas. Uma antena pode ser instalada a um custo unitário que varia de 20 a 150 reais pagos em uma só vez, não precisando assim da mensalidade da operadora. No entanto, se a operadora se utiliza dos serviços do SBT (e das demais emissoras), eles deverão ser cobrados.

6) O principal ponto da briga deve ser mostrar que o SBT, a RedeTV! e a RecordTV só querem receber por um produto que já oferecem. Ou esse ponto fica claro ou não será possível ganhar essa batalha.

Que o telespectador vença essa batalha e que as operadoras de TV paga aproveitem e se modernizem, colocando cada vez mais os telespectadores no comando e não seus programadores.

*É graduado em Comunicação Social (Rádio e TV) pela Escola de Comunicação da UFRJ. Teve passagens pelo SporTV, como coordenador de produção, e pelos canais Esporte Interativo, onde foi coordenador de programação. Atualmente escreve artigos de opinião às segundas-feiras no SBTpedia

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter