Prova técnica do Bake Off Brasil desafia competidores a fazer castelo de cartas de biscoitos; veja destaques

No segundo episódio do maior reality show gastronômico de confeitaria do País, “Bake Off Brasil – Mão Na Massa”, que vai ao ar neste sábado, 19 de agosto, às 21h30, no SBT, sob comando de Carol Fiorentino, os 15 confeiteiros amadores que disputam permanência na atração enfrentam uma prova elaborada que exige muita precisão. Trata-se da prova técnica, em que os confeiteiros precisam preparar biscoitos em formato de cartas de baralho para, em seguida, confeccionar um castelo de três andares e 18 biscoitos, que devem estar pintados com números e naipes pretos e vermelhos. Os participantes se assustam com a complexidade da tarefa que será avaliada à cegas pelos jurados Beca Milano e Fabrizio Fasano Jr.. As dificuldades aparecem no decorrer da prova, que tem duração de duas horas, e assim como acontece com os baralhos de papel, alguns dos castelos de biscoitos também desmoronam por terem sido feitos com espessura e pesos equivocados.

Foto: Artur Igrecias/SBT

E mais, antes de avaliar a prova técnica, a Chef confeiteira Beca Milano e o empresário Fabrizio Fasano Jr. acompanham a prova criativa com duração de duas horas. Desta vez a apresentadora Carol Fiorentino informa que a tarefa dos competidores será preparar um bolo de noivado com um andar e no mínimo um recheio, além de ser necessário a elaboração de bonecos que representem os noivos e uma flecha de cupido para a decoração do doce. Beca Milano, especialista em bolos de casamentos (participou do time de especialistas da atração “Fábrica de Casamentos”) dá algumas dicas aos confeiteiros amadores.

No final da atração, os jurados elegem o novo “mestre confeiteiro” da semana e decidem quem será o segundo eliminado ou eliminada do “Bake Off Brasil – Mão na Massa”.

Veja o perfil dos 15 participantes que continuam na disputa:

Douglas
Mogi das Cruzes, SP
40 anos
Douglas é Monge Beneditino Vétero Católico. Viveu 6 anos no Mosteiro de São Bento (SP) onde aprendeu a cozinhar e se apaixonou pela culinária. Realizou todo processo do seminário, porém não fez os votos finais para ser Padre. É considerado prestativo e alegre. Gosta de usar o hábito no dia a dia, sente-se honrado. Uma das receitas que mais gosta é a que trouxe do tempo de Mosteiro: o famoso Pão de São Bento, feito com mandioquinha.

Marina
Rio de Janeiro, RJ
36 anos
Marina é ex-funkeira e ficou conhecida como “Mulher Perereca”. Seus vídeos dessa época no YouTube têm milhares de visualizações. Gosta de cozinhar desde que era pequena, quando brincava na cozinha. Depois de casada, deixou o funk de lado e sentiu necessidade de resgatar esse antigo interesse. Hoje faz receitas para o marido que é fã de seus bolos.

Flávio
Arapongas, PR
44 anos
Flávio é mordomo, tem duas filhas e dois netos. Atualmente mora em São Paulo, mas já morou em vários lugares como Minas Gerais, Bahia e até na Alemanha. Trabalha há muitos anos com serviços domésticos para uma família abastada. É responsável por comandar os demais funcionários, organizar a casa e férias da família, além de planejar os cardápios. Aos poucos foi se interessando por gastronomia e confeitaria com o objetivo de melhorar ainda mais o seu atendimento. Gosta de dar ordens e sabe que pode parecer um pouco esnobe.

Gigi
Blumenau, SC
36 anos
Gigi é comissária de bordo há 8 anos e ganhou o apelido de “aeroconfeiteira” por causa dos bolos que costuma levar para os colegas de tripulação nos voos. Quando pequena fazia bolos escondida da avó, que não a deixava chegar perto da cozinha. O interesse pela confeitaria surgiu após assistir à primeira temporada do “Bake Off Brasil”. Autodidata na confeitaria, treinava em sua casa as receitas com cronômetro do lado com o intuito de um dia conseguir participar do reality show.

Iáiá
Itápolis, SP
67 anos
Iáiá é cozinheira e tem dois filhos. Começou a fazer brigadeiros para ajudar no orçamento familiar. Depois de divorciada, assumiu a responsabilidade da casa e acabou criando os filhos com o seu trabalho. Pagou a casa aonde mora e o estudo dos filhos vendendo doces caseiros. Hoje adora cozinhar para os netos. Quando não está na cozinha gosta de fazer pinturas, crochê e ler um bom livro. Não gosta de ingredientes químicos, essências e costuma preparar a própria pasta americana.

Johanna
Petrolina, PE
29 anos
Johanna é mão de um garoto de 7 anos. Cursou publicidade, mas não trabalha na área. Desde criança é ligada ao mundo das artes e aplica seu talento para divulgar suas criações com belos posts nas redes sociais. Disciplinada e focada, passou cinco anos tentado acertar a receita perfeita de macarons feitos com ingredientes regionais. Em 2010 começou a vender doces para investir na educação do filho. Já vendeu doces em “foodbikes” mas hoje trabalha em casa fazendo doces por encomenda.

José
Campinas, SP
36 anos
José é faixa preta de Jiu-Jitsu, casado e tem um filho. Sempre gostou de gastronomia, só que o pai, executivo, não apoiava sua escolha. Trabalhou 10 anos em uma multinacional como gerente de projetos, mas devido ao estresse abandonou a carreira e decidiu resgatar seu sonho de trabalhar com confeitaria. Aprendeu o que sabe com livros e vídeos no Youtube. Montou um ateliê de confeitaria em sua casa e passou a vender doces de forma informal. Dá aulas de Jiu-Jitsu para crianças para completar o orçamento. Conta que já sentiu preconceito por ser homem, alto, forte e fazer “florzinhas” nos bolos.

Karyne
Londrina, PR
38 anos
Karyne é diretora de arte de uma agência de propaganda e tem dois filhos. O avô começou a fazer doces assim que chegou ao Brasil, o que levou seu pai a montar uma fábrica de guloseimas populares. Karyne cresceu no meio de doces de geleia de mocotó e desde pequena já fazia biscoitos sequilhos. Aos 14 anos foi morar no Japão, onde trabalhou em um restaurante e se apaixonou pela confeitaria. Antes de fazer um bolo gosta de desenhar e se planejar para cada etapa da execução.

Liany
São Paulo, SP
39 anos
Liany é técnica contábil. É eufórica e super alto astral mas também emotiva e chora fácil. Começou a fazer bolos para aumentar a renda. Trabalha durante o dia e à noite, quando chega em casa, prepara suas encomendas. Sua especialidade são os bolos de pote. Ganhou o apelido de Lili Wonka dos amigos por usar óculos escuros parecidos com os do personagem dono da Fantástica Fábrica de Chocolates. Seu maior sonho é abrir uma lojinha de bolos.

Monique
Jacinto, MG
25 anos
Monique trabalha como auxiliar de dentista e tem um filho. Começou a vender trufas aos 11 anos para ajudar a mãe no orçamento doméstico. Com 14 anos foi estudar em um internato onde teve as primeiras aulas de culinária. Hoje vende seus doces aos finais de semana, quando está de folga. É focada e decidida, seu maior sonho é ter sua própria confeitaria. Monique gosta de criar e adaptar muitas receitas, quando não encontra os ingredientes e acessórios que precisa.

Nena
Palmeira dos Índios, AL
28 anos
Nena é mãe e trabalha como fotógrafa. É especialista em fotografar crianças e gestantes. Apesar de adorar bolos, não aprendeu nada com a mãe. Acabou se matriculando em um curso de confeitaria para principiantes, local onde conheceu seu marido. Divertida, tem costume de falar sozinha, hábito pelo qual o marido sempre chama sua atenção. É bagunceira e estabanada na hora de cozinhar, mas garante bons resultados.

Ney
Turvânia, GO
28 anos
Ney é decorador e mora em Juiz de Fora (MG). Aprendeu a cozinhar com as avós, em uma fazenda. Gosta de valorizar as raízes e por isso construiu um fogão a lenha na sua casa. Fez faculdade de direito e também dá aulas de culinária com as receitas dos cadernos que herdou das avós. É auto confiante e muito seguro. Diz que é um desbravador de sabores. Visita cidades do interior procurando receitas únicas e regionais. Acredita que quando prepara suas receitas gera afetividade e aproxima as pessoas.

Richarles
Rio Branco, AC
21 anos
Richarles é designer e fotógrafo de baladas nos fins de semana. Mudou para São Paulo há dois anos. Sempre ajudou a mãe na cozinha e gostava de incrementar os bolos básicos que ela fazia em casa. Preocupa-se muito com decoração e estética. Gosta de trabalhos manuais. Sente falta dos ingredientes típicos do Acre, por isso gosta de utilizá-los em suas receitas como uma forma de matar saudade e valorizar a sua cultura.

Dário
Ribeira do Pombal, BA
25 anos
Dário é filho único e gosta de cozinhar nas horas vagas. Já ganhou um edital para gravar um filme sobre as lendas da sua cidade e com isso foi estudar cinema. Para conseguir se manter na faculdade começou a fazer bolos para vender nas ruas e nas salas de aula. Em seguida passou em um concurso público, precisou parar a faculdade, mas continuou a fazer bolos. Aprendeu tudo sobre confeitaria assistindo vídeos no Youtube e treinando sozinho em casa. Gosta de técnicas rústicas e modela flores usando uma colher.

Débora
São Paulo, SP
29 anos Débora trabalha há 10 anos como tesoureira em uma empresa de aviação. É estudante de nutrição e gosta de transformar receitas tradicionais em versões funcionais e saudáveis. Considera-se metódica, focada e forte. É muito confiante em si mesma e diz estar entrando na competição para ganhar. Quer trocar de carreira e seguir na confeitaria. Aposta na participação no programa para realizar esse sonho.

BAKE OFF BRASIL - MÃO NA MASSA
Neste sábado, às 21h30

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter