Cantora Ângela Maria é a convidada de Danilo Gentili no The Noite desta quinta-feira; veja frases

No The Noite desta quinta-feira, 05 de outubro, Danilo Gentili recebe Ângela Maria. Uma das maiores rainhas do rádio, a cantora fala na entrevista sobre seu novo disco "E as Canções de Roberto e Erasmo", contando que não incluiu “Detalhes” no repertório em consideração a Roberto. “Eu não gravei porque achei que não devia fazer isso com ele”, afirma. Ela relembra a amizade com Cauby Peixoto e Agnaldo Timóteo, além de recordar o início de sua carreira: “Comecei a cantar com 12, 13 anos na Igreja Batista. Eu fugia do culto e ia para a rádio participar do programa de calouros. Ganhei todos os concursos de rádio sem a família saber. Escondia (os prêmios) dentro de uma caixa de sapato em baixo da cama”.

 Foto: Gabriel Cardoso/SBT

Confira as melhores frases da entrevista: 


Sou (casada). Há 39 anos. Ele é um cara maravilhoso.

Começou na rádio Nacional, nos anos 50. Nesses 68 anos de amizade e trabalho nunca vi o Cauby falar mal de alguém ou dizer um palavrão. (sobre a amizade com Cauby Peixoto)

Ele estava sem trabalho, tinha vindo de Belo Horizonte e precisava. Eu não sabia dirigir carro mecânico. Sempre foi meu amigo. Sempre gostei do Timóteo. (sobre Agnaldo Timóteo ter sido seu motorista no início da carreira)

“Gente Humilde”. Porque é uma música muito parecida com a minha vida. (sobre sua música preferida)

Meu pai começou a procurar uma casa no subúrbio, em Irajá. Ficava longe, eu não podia ir (na rádio). Tudo para eu não ir para o rádio. Mas eu estava ficando doente, ouvia Marlene e Emilinha Borba. (sobre seus pais serem contra sua carreira no rádio)

Quando completei 18 anos, falei pra minha mãe que iria embora seguir minha carreira. “Podem me bater à vontade, eu vou atrás do meu sonho”, disse.

Mesmo assim ficaram afastados de mim, mas eu visitava minha mãe e meu pai. Quando estava bem de grana comprei uma casa para meu pai e minha mãe. Eles choravam, minha mãe passou mal, era o que ela mais sonhava.

Eu só cantava o repertório da Dalva de Oliveira, porque tinha a voz parecida com a dela.

Quando Carmen Miranda esteve no Brasil, ela ia coroar a próxima rainha (do rádio). Manoel Barcelos pediu emprestado minha coroa e não devolveu mais. Era de brilhantes e pérolas. Roubaram minha coroa.

THE NOITE
Nesta quinta, logo após A Praça é Nossa

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter