Resenha do Livro: 'Almanaque SBT 35 Anos', por José Eustáquio Júnior

RESENHA DO LIVRO: ALMANAQUE SBT 35 ANOS

Por José Eustáquio Lopes de Faria Júnior (@juniorpitangui)
 
Eu sempre fui muito fã de Almanaques. A partir da primeira década dos anos 2000, vários foram lançados pela editora Ediouro, como o best-seller Almanaque Anos 80 que puxou vários outros títulos, o dos anos 90, 70, de Cinema, de TV, de Quadrinhos, da Jovem Guarda e até do Fusca! Por outras editoras, foram lançados o Almanaque da Telenovela Brasileira (de Nilson Xavier) e o Almanaque da TV Globo (Marcel Souto Maior/Memória Globo). Tenho todos!

E porque, na minha visão, é algo tão bom? Almanaque não tem compromisso com um texto sóbrio (às vezes cansativo), repleto de detalhes e que possui um início, meio e fim bem definidos. A ideia é justamente o contrário: conseguir interagir com o telespectador com um texto leve, curto, que o leitor não tenha que lê-lo com medo de “perder o fio da meada”. Abre-se na página 181 e lá está uma informação bacana, curiosa, direta. Em tempos de rotina a mil, é algo bem mais sedutor para o leitor.

Já está chegando às principais livrarias do Brasil o “Almanaque SBT 35 Anos”, cuja função primordial é justamente oferecer ao leitor a história da emissora contada em que pequenos e diversificados textos. A obra está recheada de fotos coloridas (olha o Silvio Santos aí), em preto-e-branco e frames históricos, outra característica fundamental de um bom almanaque.

A diagramação criativa também chama a atenção. Entre textos são inseridas pequenas curiosidades, informações, dados peculiares. Vale destacar o cuidado em oferecer ao leitor uma lógica no livro que parte de uma linha do tempo (resumo histórico de estreias), passando para a criação do Programa Silvio Santos (quando o apresentador ainda nem sonhava em ter sua própria TV), chegando na TVS Rio (parte um tanto esquecida da história do SBT, mas de notável importância, entre 1976 e 1981) e concluindo com a inauguração da TVS Canal 4 de São Paulo, de ano a ano, de 1981 a 2016.

Todos são testemunhas que eu sempre fui um defensor incondicional de projetos que valorizassem a história do SBT. Desde o fenômeno de vendas do livro “A Fantástica História de Silvio Santos” (de Arlindo Silva, que aliás, acabou de ter um relançamento), a história do SBT em si acabou sendo deixada de lado e vários escritores se dedicaram a contar sobre a vida ou particulares do seu dono. Óbvio que isso também é importantíssimo. Mas era necessária uma obra mais completa, que contemplasse criador e criatura. E ela finalmente veio.

Sobre o conteúdo, vale ressaltar o cuidado em pesquisar as datas de estreias e de término de diversos programas, mesmo as do tempo da TVS Rio, muitas atrações que simplesmente não haviam registros. Da mesma forma, é bastante chamativa e caprichada a ideia de exibir o histórico de logos das atrações no decorrer de suas trajetórias na programação. Vinhetas e jingles comemorativos também são relembrados com suas respectivas letras (para você, SBTista, não ler e sim cantarolar em casa, afinal elas estão no seu inconsciente até hoje). Dentre as várias curiosidades que o leitor pode saborear, vale destacar para qual filme foi utilizada pela primeira vez a vinheta do “pela primeira vez na televisão” e que o Topa Tudo por Dinheiro surgiu da junção de dois antigos programas de Silvio Santos e não apenas do “Tudo por Dinheiro” como se convencionou a falar durante anos. O programa também traz à tona a solução para mistérios como “Silvio Santos e Bozo realmente dividiram um programa na emissora?” A resposta está lá na página 103.

Ao final, o livro ainda reserva um espaço para falar das atrações internacionais que marcaram a grade do SBT, como novelas mexicanas, seriados e desenhos, especialmente mexicanos e americanos.

É importante ressaltar que não se trata de algo para reunir 100% de tudo que passou na tela do SBT. Para isso, seria preciso um livro muito maior e seria comercialmente inviável e, provavelmente, não seria mais um Almanaque e ganharia ares enciclopédicos. Apesar disso, podemos afirmar com toda certeza que é a principal obra de referência sobre o SBT já lançada até hoje. Para quem é fã, como nós aqui do SBTpedia, é um deleite recordar as centenas dos programas listados. São 400 páginas de pura viagem no tempo.

Parabéns ao SBT por apoiar o projeto (e ao braço SBT Licensing pelo lançamento) e rendo as homenagens ao Alan Gomes e ao Lucas Gentil em nome de todos que participaram dessa grande obra. Quem sabe ela não ganhe um volume 2 no futuro? Ou alguns filhotes? Estaremos comemorando o sucesso daqui, como uma legítima TV que Tem Torcida merece.

ALMANAQUE SBT 35 ANOS
Páginas: 384 páginas
Editora: Editora OnLine
Onde adquirir: Breve nas principais livrarias do Brasil. Site da editora já está comercializando através desse link: https://revistaonline.com.br/produto/almanaque-sbt-35-anos/

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter