Entrevista SBTpedia: Reynaldo Boury, diretor-geral de teledramaturgia e de 'As Aventuras de Poliana', no SBT


Por José Eustáquio Júnior (@juniorpitangui) e Pedro Nascimento (@pedromnasciment) 

Próximo de completar 86 anos e uma das memórias vivas da dramaturgia no Brasil, Reynaldo Boury segue muito ativo na carreira de diretor, tendo dirigido pessoalmente externas no calor do sertão cearense, que farão parte de cenas dos primeiros capítulos de “As Aventuras de Poliana”, nova novela do SBT. Desde 2010 na casa e acumulando sucessos na direção das novelas voltadas ao público infanto-juvenil, Boury concede entrevista ao SBTpedia e fala sobre o sonho do segundo horário de novelas, a direção de Rica Mantoanelli em “Carinha de Anjo” e as projeções para a nova trama da emissora, em que será novamente o diretor-geral. Confira na íntegra:

SBTpedia: Boury, conte-nos um pouco como iniciou sua trajetória na TV. Ser diretor de novelas era seu sonho desde jovem ou você tinha outra profissão em mente?
Reynaldo Boury: Minha história em TV é longa. Começou em 1954. Era fotógrafo profissional e o Cassiano Gabus Mendes, Diretor-Geral da TV Tupi, me convidou para ser operador de câmera. Claro que comecei como assistente de câmera, naquele tempo era cabo-man. Ser Diretor foi uma consequência normal.

SBTpedia: Você emplacou diversos trabalhos consecutivos na direção-geral de novelas e agora ganhou uma pausa com o Ricardo Mantoanelli no comando dos trabalhos de Carinha de Anjo. Conseguiu dar uma descansada nesse período? Como avalia o trabalho do Rica e da Leonor na trama?
Reynaldo Boury: O Ricardo aprendeu dramaturgia no nosso Núcleo, em “Chiquititas”. Inteligente, trabalhador, honesto, Todos os requisitos para um bom profissional. Ele e a Leonor fizeram uma dupla com grandes certos.

SBTpedia: Como diretor no SBT, você trabalhou nas adaptações de Carrossel, Chiquititas e Cúmplices de um Resgate. É diferente trabalhar numa adaptação de uma trama que já foi previamente testada como novela, inclusive com exibição na emissora, de outra que sai de uma adaptação de um livro?
Reynaldo Boury: Claro que as diferenças são visíveis. Mas o objetivo é só um. Acertar. Mas para acertar é preciso ter um bom material em mãos. Sempre tivemos.

SBTpedia: Houve algumas dúvidas sobre o nome a ser adotado para a novela “As Aventuras de Poliana”. Se falou em “As Aventuras de Poliana e João Feijão” ou simplesmente “Poliana”. Como se chegou ao nome definitivo?
Reynaldo Boury: Problemas autorais. Esta Poliana é uma Poliana brasileira. A americana do livro de Eleanor Parker é a Pollianna, que não pode ser usada, por motivos óbvios.

SBTpedia: Você atuou como câmera em uma versão de “Poliana” feita pela TV Tupi na década de 50. O que foi mais marcante naquela adaptação?
Reynaldo Boury: Foi quando a TV ainda era ao vivo. A TV Tupi tinha um programa de dramaturgia infantil, aos domingos pela manhã, que exibia contos. Uma história por vez, Poliana foi uma delas. Direção de Julio Gouvêa, quem escrevia era a esposa dele Tatiana Belinki. 1956. Faz tempo... Lembro quem fez o papel título foi a Verinha Darcy, irmã do locutor esportivo Silvio Luiz.

SBTpedia: “As Aventuras de Poliana” promete bater ao menos 500 capítulos na programação do SBT e quem sabe até ultrapassar a duração de “Chiquititas”. É possível que além do livro clássico, haja a adaptação da continuação “Pollyanna Moça”? Se sim, a novela se dividirá em fases?
Reynaldo Boury: No momento é muito complicado fazer planos. O tempo dirá melhor.

SBTpedia: Você dirigiu a novela “Redenção” na TV Excelcior, considerada uma das tramas mais longas de todos os tempos, com quase 600 capítulos. No SBT, o esquema de produção atual também prevê um número similar de capítulos. Quais são os desafios de fazer novelas tão longas?
Reynaldo Boury: O desafio é manter a novela com uma boa qualidade para o espectador seguir neste barco dramatúrgico.

Making of das cenas gravadas no Ceará da novela "As Aventuras de Poliana"

SBTpedia: Para protagonizar Poliana, o SBT apostou na Sophia Valverde, já conhecida dos telespectadores pelos seus trabalhos em Chiquititas e Cúmplices de um Resgate. O que pesou na escolha dela e como ela vem se saindo no papel até aqui nas gravações?
Reynaldo Boury: A Sophia é maravilhosa. Talento puro. Ela é a Poliana, sem dúvida.

SBTpedia: Qual será o principal diferencial de “As Aventuras de Poliana” em relação as outras tramas infantis?
Reynaldo Boury: Não existe um diferencial. Precisamos sempre realizar novelas para um público alvo. Estamos acertando.

SBTpedia: Poliana é um clássico universal de literatura infanto-juvenil e que agora ganhará uma versão como novela pelo SBT. Acha possível que o SBT siga com adaptações de obras clássicas na sua dramaturgia? No passado, se falou na possibilidade da emissora adaptar obras de Monteiro Lobato. Acha que teria potencial nos dias de hoje?
Reynaldo Boury: Obras de Monteiro Lobato são muito complicadas para se obter os direitos. Outras obras nem tanto.

SBTpedia: Antes da estreia de Carinha de Anjo, cogitou-se a possibilidade do SBT adaptar a novela “Patito Feio”. Ela continua em análise? Pode divulgar outros textos que possuem chance de adaptação?
Reynaldo Boury: Realmente “Patito Feo” sempre está nas nossas cogitações. Quem sabe um dia...

SBTpedia: Podemos afirmar que a faixa de novelas infantis está consolidada após 4 sucessos (CarrosseL, Chiquititas, Cúmplices e Carinha de Anjo). Embora o público dessas tramas não seja apenas as crianças, mas também a família inteira, você acha que seria interessante uma segunda faixa, com texto adulto? A estrutura técnica do SBT hoje permite a gravação de duas novelas simultaneamente?
Reynaldo Boury: Claro. Um segundo horário de novela no SBT sempre foi o  grande desejo. Mas o nosso público alvo está sempre se renovando. De 5 em 5 anos muda tudo. Sempre com um público renovado. Mas uma novela de cunho adulto seria muito bem recebida. Mas uma novela adulta familiar.

SBTpedia: Você é pai da roteirista Margareth Boury, que inclusive tem experiência em adaptação de textos mexicanos, como o remake de “Rebelde”, na Record. Há chances de ela emplacar algum projeto no SBT?
Reynaldo Boury: Difícil. Ela está envolvida com novos projetos da Netflix.

SBTpedia:  Você tem tempo para dar uma espiada nas novelas da concorrência? O que você acha delas?
Reynaldo Boury: Sempre acompanhando a evolução das novelas concorrentes. Mas com um certo pé atrás. A Família está sendo esquecida neste contexto de novas novelas.

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter