'Fiquei marcado como um cara que pega a mulherada', diz ator Oscar Magrini no The Noite desta terça

Oscar Magrini é o convidado de hoje, 06 de agosto, no The Noite. Em cartaz com a peça “Gatão de Meia Idade”, ele fala sobre o espetáculo: “é uma comédia romântica. Dos quadrinhos direto para os palcos do teatro”. Ele explica que o ator ventríloquo Yakko Sideratos controla o boneco que interpreta sua consciência, interagindo com ele durante o show. Oscar também conta como começou no mundo artístico e recorda: “comecei como modelo. Filme publicitário. Comecei com uma idade em que não era teen, tinha uns 26 anos de idade”. Sobre se manter em forma, afirma: “há 28 anos tenho 89, 90 ou 91 (kg) de peso. Mantenho com exercício e alimentação. Fazia muita ginástica, hoje só faço manutenção”. E completa: “não me privo de nada. Cerveja eu perco, tem mulher que bebe mais que eu. Mas vinho eu bebo bem”.

 Foto: Gabriel Cardoso/SBT

O ator diz ainda que chegou a ter uma academia e uma locadora antes de se tornar modelo e conta que o desejo de ser artista vinha desde pequeno. “Moro em Santos, tinha 11 anos e estava passando a primeira versão de Mulheres de Areia. Enchia o saco da minha mãe para ir ver as gravações em Itanhaém... 20 anos depois eu fiz Mulheres de Areia segunda versão”. E revela outro momento curioso da carreira, quando foi figurante na primeira versão de ‘Éramos Seis’: “estava no colegial, tinha uns 16 anos. Fiz figuração andando no bonde e a Tupi não pagou, acho que já estava quebrando”. Magrini também fala sobre papéis marcantes, como o Ralf de ‘O Rei do Gado’ e Johnny ‘Percebe’ em ‘Torre de Babel’. “O personagem é mais forte que o ator... Esses dois eu guardo com muito carinho porque foi um ‘boom’ na minha carreira. Fiquei marcado como um cara que pega a mulherada”, conclui.

THE NOITE
Nesta terça, logo após o Cine Espetacular

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter