Roberto Cabrini fala sobre livro e recorda momentos impactantes de sua carreira no The Noite nesta segunda

Danilo Gentili entrevista Roberto Cabrini nesta segunda-feira, 11 de novembro. Um dos maiores jornalistas investigativos de todos os tempos, ele fala sobre o lançamento de seu livro “No Rastro da Notícia”, que conta as histórias mais marcantes de sua carreira. Sobre as entrevistas mais desafiadoras que fez, recorda a que teve com Fernandinho Beira-Mar e diz: “a entrevista não era com ele, mas com o Nem da Rocinha. Ele ficou com ciúmes e quis falar na frente”. Há 42 anos no jornalismo, afirma: “mas com corpinho de 39. Não é que eu sou tão velho, é que comecei muito cedo com 16 anos. Aos 17 eu já era o repórter mais jovem da TV Globo”.

 Foto: Gabriel Cardoso/SBT

Para Cabrini, a maior qualidade que um repórter investigativo tem que desenvolver é se colocar no lugar da outra pessoa. “Eu nunca levo anotações para não perder o olho no olho com os convidados”, diz. O jornalista revela que a morte de Ayrton Senna foi o fato mais triste que teve que noticiar e analisa: “existem muitas evidências de que o Senna morreu na pista e não no hospital”. Ele relembra ainda como localizou PC Farias e realizou uma entrevista exclusiva, além de sua experiência como correspondente de guerra no Iraque e o que essa experiência lhe trouxe. “Nas primeiras explosões você quer pedir pela sua mãe, com certeza. Mas vamos evoluindo e controlando a mente... Descobri que o medo não me paralisa. Eu me torno muito mais concentrado nessas situações”, conta.

E mais: o The Noite recebe ainda o cantor internacional Scott Stapp, que canta o hit “Don't Stop Dancing”. Em turnê pelo Brasil, ele fala sobre o lançamento recente de seu terceiro disco solo: “representa passar por problemas, sair da escuridão e entrar na luz”. E completa: “eu espero que ao compartilhar as minhas experiências outros possam se conectar”.

THE NOITE
Nesta segunda, logo após o Conexão Repórter

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter