Elenco da sexta temporada do 'Shark Tank' é a atração do The Noite com Danilo Gentili desta terça-feira; veja destaques

O “The Noite” desta terça-feira (23), a partir da 01h00, recebe o elenco da sexta temporada de “Shark Tank”, são eles: Camila Farani, Caito Maia, Carol Paiffer, João Apolinario e José Semenzato.

Foto: Lourival Ribeiro/SBT
 
Eles contam sobre a sexta temporada do programa, como foi o caminho para se tornar um empreendedor de sucesso e como a pandemia criou nas pessoas a necessidade de empreender.

João Apolinário é presidente, proprietário e fundador da Polishop. Camila Farani tem uma empresa de “investimento-anjo” e é colunista da “Gazeta do Povo”, “Estado de São Paulo” e “Forbes”. Caito Maia é fundador da Chilli Beans e tem um programa na 89 FM. Carol Paiffer é CEO da ATOM S/A, uma plataforma digital para investidores. Já José Semenzato é empresário e presidente da SMZTO, uma holding de franquias setoriais.

A temporada de 2021 foi a com maiores propostas de todos os tempos. Onze empreendedores receberam ofertas que ultrapassaram o valor de 1 milhão de reais. João Semenzato fez uma proposta de 10 milhões de reais, a maior da história do programa.

Danilo Gentili questiona o que foi mais difícil para eles conquistar todo o sucesso ou apresentar um programa. José Semenzato responde que o mais difícil é a conquista, quebrar as primeiras barreiras e ser visto por uma ação relevante.

Já João Apolinário vai além da pergunta e comenta da importância do programa ao empreendedorismo: Não existe uma verdade única no empreendedorismo, eu falo uma coisa, Caito fala outra, Semenzato, Carol e, todos nós temos uma visão diferente, olhando, analisando, então ele [programa Shark Tank] é muito informativo, ele é dinâmico, para a aquela pessoa [telespectador], que mesmo que ela não esteja tendo seu negócio, ela está empreendendo onde ela está trabalhando, porque empreender não significa ser dono apenas, você pode empreender onde você está trabalhando, no CNPJ de alguém. É a atitude da pessoa”.

A gente não tem escola para ser empreendedor, a escola é a vida. E obviamente, com todas as variáveis que acontecem no dia a dia, de todos os aspectos jurídicos, marketing, logística, contábil, financeiro e você ainda conseguir superar aquilo… Você quer empreender? O mais importante, é você entender que isso é legítimo, que isso é de dentro para fora”, Camila Farani complementa.

Esta é a segunda temporada do programa durante a pandemia. Os “Tubarões” são questionados se a pandemia fez aumentar o número de pessoas investindo no empreendedorismo. “Aumentou, são dados que as pessoas perderam empregos e as pessoas começaram a empreender por necessidade”, declara Carol Paiffer.

Caito Maia alega que triplicou o número de pessoas querendo abrir um negócio. O empresário que tem uma super empresa relógios e óculos de sol, revela sua adaptação da situação atual em seus negócios: “Eu tive uma procura por conta da epidemia mundial por grau, porque as pessoas estão dentro de casa com celular e triplicou o consumo e a procura por óculos de grau nas lojas e foi o que me salvou. A gente mudou rápido, colocamos óculos de grau e ganhamos o mercado de grau.”

“Os Tubarões” ainda dão dicas valiosas e exclusivas para o telespectador sobre empreendedorismo. Para Carol Paiffer, “o risco está relacionado ao retorno, então quanto maior o risco maior pode ser o retorno. E é sempre uma composição, você tem no seu portfólio empresas que já estão tracionadas e você vai colocar mais granas porque ela já valorizou e tem outras empresas que, além de você colocar dinheiro, você vai ter o capital do ano, de você participar, que é o smart money. As empresas não estão redondinhas, elas exigem bastante também nossa presença, da nossa participação para que elas possam ter sucesso.”

Empreender não significa criar algo novo, sempre, todo dia. E as pessoas acham que para empreender para ela ficar rica, bilionária, ela tem que inventar uma coisa nova. O João fala muito isso: ‘empreender é aperfeiçoar aquilo que já existe’. Ou seja, compra uma franquia, não importa a marca, etc. Compra uma franquia, monta dez franquias que você vai ser um grande empresário, empreendedor da sua vida. Não significa inventar do zero, até porque quando você compra uma franquia você mitiga mais de 50% de risco, porque já está testado, já está tem tração, já tem marca desejada, tem processo”, expõe José Semenzato.

No meio da entrevista, Murilo Couto, Leonardo Lins, Juliana Oliveira oferecem seus produtos, paradoxalmente bizarros e geniais, para os Tubarões em busca de investimento, como o “Geladeira Fit” e o “Caixão Gamer”.

Os convidados costumam cantar no intervalo do programa que apresentam. Semenzato é quem sempre puxa a cantoria. E para finalizar o programa, o elenco do Shark Tank canta “Evidências” de Chitãozinho e Xororó.

Danilo Gentili pergunta para cada um, o motivo deles se considerarem “Tubarões”. Confira suas respostas:

João Apolinário: “Na verdade eu sou um empreendedor e o que o empreendedor gosta exatamente é de gerar oportunidade, de fazer com que as coisas aconteçam, ou seja, o empreendedorismo tem a ver com atitude. Eu acho que ali [no programa] é uma oportunidade que a gente também tá dando de achar um bom negócio e fazer com que as pessoas possam ter uma oportunidade de crescer e de realmente fazer seu sonho virar realidade”.

Camila Farani: “É porque eu acho que empreendedorismo, além de ser um estilo de vida, para quem é empreendedor está no DNA, eu nem me vejo fazendo outra coisa. Então dias comuns e dias que eu estou de folga eu continuo empreendendo como um estilo de vida. Isso foi aumentando, a gente vai ganhando experiência conforme o tempo. Sou empreendedora e investidora também”.

Caito Maia: “Vou te falar, o que faz diferença para mim é ver um menino de dez anos de idade querendo tirar uma foto e a gente influenciando a geração que está vindo no Brasil. Essa sensação de ver uma molecada já pensando em seu futuro e você tem culpa nisso, isso é muito legal. Para mim uma das coisas que mais brilha o olho é fazer um ‘Tubarão’, um programa ‘Shark Tank’ ”.

José Semenzato: “Danilo, para mim ser um ‘Shark’ foi um caminho muito interessante que eu acabei me encontrando para levar uma mensagem para as pessoas menos favorecidas, para aqueles como eu que vendia coxinha com 13 anos de idade na periferia de Lins, venci no mundo do empreendedorismo e eu sou a prova viva para todos esses jovens que aspiram, que eles podem realmente vencer. E eu quero estar aqui cada vez mais dando oportunidade, instigando, provocando para que essa transformação ocorra na maioria das pessoas”.

Carol Paiffer: “Eu brinco que sou o ‘baby shark’, estou em formação, porque eu sou a última a entrar [no programa], estou aprendendo cada vez mais com os ‘Tubarões’, mas eu sou investidora há 16 anos e é realmente prazeroso ver que a gente pode investir em negócios que fazem nosso país crescer e que servem que exemplos para outras pessoas, para elas acreditarem no potencial que elas têm. Então é maravilhoso poder investir em empreendedores e ver isso acontecendo”.

THE NOITE
Nesta terça, logo após o Cine Espetacular

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter