'Queria ser bailarina, nunca pensei em ser atriz', diz Totia Meireles a Danilo Gentili no The Noite desta terça-feira

Totia Meireles será a entrevistada de Danilo Gentili no The Noite desta terça-feira (31). O apresentador pergunta de onde veio seu apelido, já que seu nome verdadeiro é outro e ela responde: “nem minha mãe sabe. Me conheço como Totia. Para mim, é meu nome. Não tem a ver Maria Elvira com Totia. Não sei de onde surgiu”. Em cartaz com as peças “Herivelto Como Conheci” e “Procuro Homem da Minha Vida, Marido Já Tive”, declara: “fiquei dois anos sem fazer nada e, quando volta, volta com tudo”. Recordando seu começo na área artística, afirma: “comecei sem saber. Queria ser bailarina, nunca pensei em ser atriz. Queria dar aula e ter uma academia de balé, sempre foi minha paixão”.

Foto: Lourival Ribeiro/SBT
 
Tendo participado de todos os programas de Chico Anysio, fala de sua participação na ‘Escolinha do Professor Raimundo’. “Fiz um ano de escolinha. Era a Tereza Mercantil.... Essa personagem na verdade foi escrita para a Carmem Verônica, aí ela não pôde fazer e o Chico me chamou”. Sobre a dinâmica das gravações, revela: “era direto. Não tinha erro. Na ‘Escolinha’ o quanto você errava era o quanto você acertava. A gente só recebia o nosso texto, então era tudo uma grande surpresa. Ali só tinha professor, foi uma escola incrível”. E completa: “muita coisa eles cortavam. Porque ele falava muita besteira. Durante a gravação, ele deixava rolar e, o que vinha na cabeça dele, ele soltava”.

A atriz afirma nunca ter feito uma escola de interpretação e responde qual personagem mais gostou de fazer: “de televisão foi a Wanda, de Salve Jorge. Vilã é maravilhoso fazer. Fazer maldade, quando a gente acha que não faz na vida real. A gente tem um diabinho dentro da gente, a gente sabe”. Totia conta que conversou com mulheres que foram traficadas na vida real para poder compor sua vilã e ressalta a importância do tema de tráfico de pessoas ter sido debatido na trama: “a gente soube que várias não foram, conseguiram entender como funciona a rede, que é muito bem estruturada. Então poderiam ter sido traficadas e não foram. Foi uma novela que ajudou muitas mulheres”.

A atração recebe ainda Giselle Café, cantora e compositora cearense. Ela fala de sua carreira na música e conta: "comecei na igreja como a maioria das cantoras. 20 anos de carreira. Comecei com 13, mas, valendo mesmo, aos 15". A convidada relembra o golpe financeiro que sofreu recentemente e afirma: "foi agora, ano passado, quase 100 mil reais". Ela explica toda a situação e comenta que as pessoas que lhe enganaram tentaram usar o nome de Wesley Safadão, que acabou sabendo do ocorrido por um programa de televisão e gravou com ela a música “Corpo Inflamável”, hit que Giselle canta ao final da conversa.

THE NOITE
Nesta terça, logo após o Cine Espetacular

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter