'Se eu sinto ciúme o problema é meu, não é da pessoa que tá comigo', declara Leticia Cannavale no PoliCast desta quinta-feira

A intérprete de uma das personagens mais cômicas de “Poliana Moça”, Leticia Cannavale, é a convidada do “PoliCast” desta quinta-feira (30). A atriz, que dá vida à Claudia, impõe argumentos honrando a mãe moderna e a liberdade da mulher, tal postura, que sua personagem vive na produção. O podcast vai ao ar logo após a exibição da trama na TV, às 21h30 no canal da novela do YouTube, Spotify, Deezer e Amazon Music.

Foto: Lourival Ribeiro/SBT
 
Em “Poliana Moça”, Claudia sofre por não ter mais a guarda e viver longe da filha Yasmin, que preferiu morar com o pai e sua nova família. Sem contar que se sente desmotivada com seu emprego de auxiliar administrativa na Onze, que não lhe apresenta mais desafios. Ela decide pedir para Otto [Dalton Vigh] um novo cargo de mais responsabilidades, mas o chefe é realista e explica que não há outra função que ela possa exercer na empresa sem fazer uma faculdade. A mãezona não tem tempo para terminar a faculdade ou fazer outros cursos, morando numa casa com quatro filhos ainda dependentes. O marido Durval [Marat Descartes] insiste para que ela trabalhe na padaria junto com ele, já que tem serviço de sobra. O casamento vai bem entre os dois, apesar da rotina corrida e estressante, mas trabalhar junto com Durval está fora de cogitação para Claudia. Por isso, ela decide ingressar num curso universitário, bagunçando a rotina, já desorganizada, da casa, o que está rendendo muitas situações engraçadas, entre elas, o ciúmes de Durval causado por um garotão que se torna sua dupla de estudos, o Júlio [Daniel Tonsig].

A personagem tem três filhos, contando com a Yasmin - que não está na trama -, os gêmeos Gael [Kauan Siqueira] e Benício [Vinícius Siqueira] e mais duas enteadas, Raquel [Bel Moreira] e Lorena [Pietra Quintela]. A atriz defende que o núcleo da família é fiel às famílias da vida real:

“Eu, Letícia, não tenho filhos, então, eu pego emprestado da Claudia essa filharada toda. É um núcleo muito caótico, porque tem a Claudia, o Durval, os gêmeos, a Lorena, a Raquel, antes tinha a Yasmin, que agora foi morar com o pai, então, é um núcleo caótico. Um núcleo, e eu recebo muito isso do público, que traz uma família de verdade, não é aquela família comercial de margarina.

Claudia representa uma mulher moderna, que decidiu fazer faculdade, focar no trabalho, conciliar com a família e agora lida com o ciúme do marido. Nos próximos capítulos, a mãe de perfil jovial e brincalhão, irá se posicionar firmemente, mostrando que o apego excessivo pode se transformar em pose.

“A Claudia decidiu dar um novo passo, eu acho maravilhoso esse recado. Ela é uma mulher que largou a faculdade lá trás, quando engravidou e casou. Ela casou com um cara que tinha uma situação bacana e ele não queria que ela trabalhasse e que ela ficasse em casa cuidando dos filhos - realidade de quantas mulheres que passaram e passam por essa situação. Passa-se um tempo, os filhos crescem, casamento não dá certo, agora ela está lá com o Durval e ela decide ter a coragem - porque você precisa ter coragem para fazer faculdade depois de tanto tempo-, e tem esse marido que apoia ela, é um casal bonito. Mas apesar dele apoiar, é muito complicado, porque ele vê ela em outra situação, com pessoas que ele não conhece, aprendendo coisas que ele não domina e com pessoas mais jovens, e ele se vê vulnerável e inseguro”, declara Leticia.

“O Durval tem que dosar, porque o interessante o que a novela tá passando é que você pode ter ciúmes, ok, mas lide você com isso. Se eu sinto ciúme o problema é meu, não é da pessoa que tá comigo, então, eu preciso resolver o meu ciúme e não a pessoa que tá comigo que tem que mudar o hábito ou atitude dela. O problema está nele e não na Claudia, e é muito legal, porque ela não vai voltar atrás, ela não vai deixar de fazer o trabalho com o Júlio”, finaliza o assunto.

A entrevistada ainda revela que a característica de Claudia trouxe muitos aprendizados em sua vida: “A Claudia me ensinou muita coisa, mas o que eu acho mais marcante no traço de personalidade dela é ela ter uma capacidade muito grande de rir. Ela é atrapalhada, ela é enrolada e ela tem essa capacidade de rir de si mesma. Ela enlouquece, ela pira, ela tem a emoção à flor da pele, ela é muito sincera do que está sentido e do que está vivendo, ela é muito honesta com ela mesma. Ela tem a aptidão de rir de si mesma e das situações”.

O podcast “Policast” vai ao ar toda terça e quinta, logo após a exibição da novela, no canal de Poliana Moça no YouTube e nas plataformas de áudio

# Parceiros


#Facebook: SBTpedia

#Twitter